Domingo, 17 de Janeiro de 2010

*Andei Léguas de Sombra *

Andei léguas de sombra
Dentro em meu pensamento.
Floresceu às avessas
Meu ócio com sem-nexo,
E apagaram-se as lâmpadas
Na alcova cambaleante.

Tudo prestes se volve
Um deserto macio
Visto pelo meu tato
Dos veludos da alcova,
Não pela minha vista.
Há um oásis no Incerto
E, como uma suspeita
De luz por não-há-frinchas,
Passa uma caravana.

Esquece-me de súbito
Como é o espaço, e o tempo
Em vez de horizontal
É vertical.

Autor: Fernando Pessoa, in 'Cancioneiro'

 

publicado por ஜॐ♥ஜ___Estrelinh@___ஜॐ♥ஜ às 14:33
link do post | comentar | favorito
:
De Rosinda a 19 de Janeiro de 2010 às 00:43
Olá Estrelinha! Bonito poema, Fernando Pessoa é um dos meus favoritos.
Beijo
De ஜॐ♥ஜ___Estrelinh@___ஜॐ♥ஜ a 19 de Janeiro de 2010 às 09:07
onix AMIGA

tb gosto mto da poesia de Fernando Pessoa ( não toda claro , mas gosto)

Beijinhos mtos.
De ஜॐ♥ஜ___Estrelinh@___ஜॐ♥ஜ a 29 de Janeiro de 2010 às 11:05
onix amiga

sempre presente obrigado,

beijinhos mtos.

Comentar post



*Estrelas a ver*

online

*Já passaram por aqui*

Contador acessso

*Hora Estrelar*

*Fada protectora do Blog*

D.M Graphics

Fevereiro 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
21
22
23
24
25
26
27
28



links

posts recentes

Não é um conto de fadas

Além da Terra, além do Cé...

Porque chora uma mulher?!

*Andei Léguas de Sombra *

*Happy new year*

*Natal*

*Parabens minha jóia*

*Fernando Pessoa*

*Sejamos*

*Choro de uma mulher*

arquivos